Impactos ambientais

Publicado em 14 de outubro de 2010

Aqui você encontra vários documentos sobre os impactos ambientais.

1. As hidroelétricas de Belo Monte e Altamira (Babaquara) como fontes de gases de efeito estufa (pdf)
Resumo: Quando é necessário decidir que investimentos públicos fazer para a geração e conservação de energia elétrica, é importante calcular as emissões de gases de efeito estufa das barragens hidrelétricas. A proposta da hidrelétrica de Belo Monte e sua contrapartida rio acima, a hidrelétrica de Altamira está no centro das controvérsias sobre o modo como deveriam ser calculadas as emissões de gases de efeito estufa de represas. A hidrelétrica de Belo Monte por si só teria uma área de reservatório pequena (440 km2) e grande capacidade instalada (11.181,3 MW), mas a represa de Babaquara, que regularizaria a vazão do Rio Xingu (aumentando assim a geração de energia de Belo Monte), inundaria uma vasta área (6.140 km2). Está previsto que, em cada ano, o nível da água em Babaquara vai variar em 23 m, expondo, assim, repetidamente uma área de 3.580 km2 (a zona de deplecionamento), onde cresceria rapidamente uma vegetação herbácea, de fácil decomposição. A presente análise indica que, no prazo de até 41 anos decorridos após o enchimento da primeira represa, o complexo Belo Monte/Babaquara não teria um saldo positivo em termos de emissões de gases de efeito estufa, comparado ao gás natural. A aplicação de qualquer taxa de desconto acima de 1,5% ao ano resulta no fato de o complexo não ter um saldo positivo, se comparado ao nível de emissão  de gás natural, até o fi nal do horizonte de tempo de 50 anos, usado no Brasil para a avaliação de projetos de energia.

2. Belo Monte e Gases de Efeito Estufa 6_ As árvores mortas e Emissões Pré-Represa (pdf)
Resumo: Artigo técnico Philip Fearnside sobre o impacto que as emissões de CO2 pelas árvores mortas provocam no aquecimento global.

3. Parecer da UnB sobre Impactos Ambiental do Aproveitamento Hidrelétrico de Belo Monte por Marco Antônio Almeida de Souza e Ricardo Tezeni Minoti 27.01.2010 (pdf)
Resumo: Relatório que tem o objetivo de relatar a análise realizada do conteúdo do relatório apresentado pelo empreendedor da AHE Belo Monte em resposta aos questionamentos feitos anteriormente pelo IBAMA em  relação aos estudos do impacto relativo à qualidade da água e limnologia provocado pelos eventuais futuros reservatórios. Basicamente, o tema central em análise refere-se à  modelagem matemática realizada para prognosticar a qualidade da água futura, e inferir sobre suas conseqüências. Ao final, apresenta-se a conclusão da análise realizada e tecem-se recomendações.

Comentários (14)

  • onofrina campos |

    17/02/2011

    Estaria o Governo bem documentado, com analistas graduados em ecossistemas, com ambientalistas do mundo todo para levar adiante tão grandiosa obra pensando apenas no aumento de energia para o Brasil do futuro?
    Onofrina Campos Liberdade/MG

    Responder
  • virginia Walter |

    18/02/2011

    Acho que a midia nao cumpre com o papel que deveria cumprir de informar a populacao e trazer a verdade. Porque nao fazem debates sobre o problema? porque Jo Soares nao chama ambientalistas para informar sobre os danos futuros dessa mega obra que e sustentada por bancos internacionais? Debates em horarios nobre, Informar a populacao para uma mobilizacao maior e mais consciente. Muita gente do sul do Brasil nem sequer fica sabendo do que contece na amazonia. Vamos despertar o povo brasileiro para a importancia da Floresta e preservacao do povos indigenas…

    Responder
    • Cintia |

      09/05/2012

      Tudo que eu vi foi o vídeo do movimento gota d'água por ai…

      Responder
  • Rosa Bello |

    09/03/2011

    Estamos assistindo "O ASSASSINATO DA AMAZÔNIA" através do envenenamento de seus rios!
    ELES SÃO O SANGUE DA AMAZÔNIA !
    Isso trará consequências terríveis e irreverssíveis para nosso país!!!!!!!!!!
    Isso sem falar em nossos índios!
    O que será deles ?
    Como já antevia Darcy Ribeiro ao escrever o livro : _ "NOSSOS ÍNDIOS, NOSSOS MORTOS"
    Abaixo publico " OS DIREITOS DOS INDIO "

    DIREITOS
    DOS
    ÍNDIOS
    (Dia do Índio 19 de abril)
    Introdução

    Os ameríndios calculados em 42 milhões à época do descobrimento da América, ou seja quase o mesmo número de europeus, não passam atualmente de alguns milhares (cerca
    de
    300.000),
    principalmente
    na
    região
    amazônica.

    Ignorados pelas culturas e países dominantes, estão desesperadamente enfrentando o maior de seus desafios: preservar os seus últimos recursos territoriais e barrar o avanço da devastadora e insensível
    civilização
    dos
    não-índios,
    como
    eles
    nos
    denominam.

    Depois de viverem em harmonia com os recursos naturais, viram iniciar o declínio de sua nação, pois nestes quatro séculos milhões foram mortos pelos conquistadores em busca de ouro, milhões morreram pela ganância sobre suas terras. No correr do final deste século, devido ao extrativismo da madeira, com certeza milhares serão mortos, pois sem as florestas não sobreviverão. Só na primeira metade deste século o Brasil perdeu 87 tribos, segundo o Worldwatc Institute (Qualidade de vida. 1993, Lester R.Brown, org., ed.Globo,p.120) e há poucos anos mais de 100 mil indígenas foram exterminados
    na Guatemala(ob.cit.), só para citar alguns exemplos.

    Apesar da situação e dos direitos indígenas terem sido discutidos na Conferência sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente,a Rio 92, bem como objeto de estudos e recomendações na II Conferência Mundial de Direitos Humanos, de Viena, 1993, que incluiu deste grupo entre os vulneráveis; apesar de muitas ONGs estarem trabalhando para sua preservação, além do art.231 de nossa Constituição Federal reconhecer as culturas indígenas e determinar a sua proteção pela União,
    pouco
    se
    tem
    feito
    efetivamente
    para
    protegê-los.

    Nos últimos anos a questão indígena tem tomado vulto no Brasil, principalmente pela crescente importância da Amazônia como um dos últimos redutos naturais da Terra, ainda pouco explorado. Na verdade, a discussão sobre a política indigenista e o próprio índio só tiveram esta crescente importância devido as especulações econômicas que se começa a visualizar na região amazônica. O que é lastimável, pois a situação e o destino de milhares de silvícolas só passaram a ter atenção da mídia e da sociedade como um todo a partir do desenvolvimento dos interesses econômicos.

    Agora discuti-se o tamanho das reservas indígenas, notadamente do Yanomanis, com muitos interessados em reduzi-las sob o pretexto de que eles não necessitam de tanta terra. Na verdade há grandes interesses econômicos que recaem em suas terras. Assim, a questão indígena ainda está longe de ter o reconhecimento da sociedade brasileira a atenção que merece.
    Proteção jurídica

    Segundo dispões o artigo 3º da Lei 6.001/73 (Estatuto do Índio), índio ou silvícola "é todo indivíduo de origem e ascendência pré-colombiana, que se identifica e é identificada como pertencente a um grupo étnico cujas características culturais o distinguem da sociedade nacional".
    Os
    índios
    são
    considerados
    como
    (art.
    4º):
    I. Isolados – quando vivem em grupos desconhecidos ou de que se possuem poucos e
    vagos informes através de contatos eventuais com elementos da comunidade nacional;

    II. Em vias de integração- quando em contato intermitente ou permanente com grupos estranhos, conservam menor ou maior parte das condições de sua vida nativa, mas aceitam algumas práticas e modos de existências comuns aos demais setores da comunidade nacional, da qual
    vão
    necessitando
    cada
    vez
    mais
    para
    o
    próprio
    sustento;

    III. Integrados – quando incoporados à comunidade nacional e reconhecidos no pleno exercício dos direitos civis ainda conservem usos, costumes e tradições características de sua cultura.

    São eles considerados pela legislação brasileira como relativamente incapazes nos termos do artigo 6º, III do Código Civil, e assim devem ser tutelados pelo Poder Público em todas as suas esferas (art. 7º, Lei 6001/73) que deve protegê-lo, bem como as comunidades indígenas preservando
    seus
    direitos
    (art.
    2º,
    da
    lei
    em
    questão

    Responder
  • Jose Monteiro |

    14/04/2011

    E´preciso sim um maior aprofundamento das discussões dos impactos que essa mega obra trará para todo o sistema ambiental da Amazônia. Participo da idéia da comentarista acima de que o Jó Soares e ai não só ele mais a mídia como um todo, deveriam entrevistar, fazer mesa redonda, buscar técnicos na área, para que a população de um modo geral, fosse informada de todos os problemas que causará tanto a biomassa Amazônica como a floresta e aos seus habitantes.

    Responder
  • telma |

    18/08/2011

    Infelizmente o poder econômico do Consórcio das empresas para a construção da Belo Monte, e o interesse dos grandes banqueiros internacionais, que visão lucro,, não conseguem visualizar o massacre que estão fazendo com nossa floresta, nosso povo, nossos indios etc.
    Sabemos que precisamos de crescimento, mais um crescimento com sustentabilidade, no entanto o que se ve é uma cidade sem estrutura, saneamento, hospitais etc., para receber as milhares de pessoas que estão chegando. Sinceramente, se não houver uma infraestrutura a curto prazo, no futuro teremos uma cidade sem lei, sem cidadania etc. Sou Paraense, amo meu Estado, quero sim progresso sem destruição.
    Telma Salgado

    Responder
  • Driélli |

    01/12/2011

    Porque eles não usam ENERGIA SOLAR, que não faz mal a ninguem?

    Responder
    • Danilo |

      02/01/2012

      Energia Solar seria uma boa, entretanto é carissíma, o melhor metodo de obtenção de energia limpa ainda é a hidrelétrica

      Responder
  • Dniele |

    02/12/2011

    ESSAS PRAGAS SÓ PENSAM EM DINHEIRO!!!!!!!!!!!

    PORQUE NÃO INVESTEM NA ENERGIA SOLARRRRRRRRRRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!

    Responder
    • kelly |

      29/05/2013

      e verdade!nos devemos protestar e continuar a dizer ser contra esse desaforo do governo e quem estar por tras disso sao os ricos e astros de hollyhood

      Responder
  • Dirceu Reis |

    17/02/2012

    energia heólica também, já que o Brasil é rico em vento que vem em todas as direções!

    Responder
  • eliana melo |

    26/10/2012

    A síntese de Belo Monte :descaso!

    Responder
  • glauce |

    15/11/2012

    A complexidade do assunto e o verdadeiro interesse disso tudo é a grande questão!
    Não entendo o descaso e o abandono de uma nação inteira …….gente o que tá acontecendo?
    Como pode o governo,as autoridades,a imprensa e todos que podem fazer algo por todos nós e simplesmente fecham os olhos pra tanta coisa que está acontecendo aqui na amazônia…..
    Sou daqui e digo a todos, que a alienação é geral e quem quiser saber que procure,mesmo…pois nada é feito pra esclarecer,mostrar ou simplesmente informar!!!!!!
    o que verdadeiramente tá acontecendo por aqui….façamos por nós ,e busquemos saber e fazer por onde nossos direitos serem respeitados …assinem gente ..eu ja assinei…..

    Responder
  • JEOVANE BELLO |

    20/06/2013

    SOU ESTUDANTE DE GESTÃO AMBIENTAL, LEVO MUITO A SÉRIO ESTE ASSUNTO, E É MUITO BOM VER TODAS AS MÍDIAS INFORMANDO ESTE TEMA.
    COMPLEXO E VERDADEIRO, E UM DIA A SOCIEDADE VAI REALMENTE ENTENDER QUE É MAIS QUE NECESSÁRIO..

    Responder

Faça seu comentário

Nome
*obrigatório
E-mail
*obrigatório
Website

Divulgue!