Romaria das Águas solta 1200 tartaruguinhas no Xingu em protesto contra Belo Monte

Publicado em 20 de novembro de 2011

Movimentos sociais de Altamira, Vitória do Xingu e Senador José Porfírio (Souzel), no Pará, realizaram domingo (20) a primeira Romaria das Águas em defesa do Rio Xingu e contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. O ato, idealizado pela Igreja Católica em parceria com o Movimento Xingu Vivo Para Sempre e o Movimento Negro da Transamazônica, contou com a  participação de cem pessoas, entre ativistas, pescadores e ambientalistas.

Uma romaria fluvial levou os participantes das três cidades – as mais impactadas pela obra – dos portos de Vitória e Souzel até a praia Munhenhê, na área conhecida como Tabuleiro do Embaubal, o maior nascedouro de quelônios da América do Sul. Localizado a jusante do reservatório, o Tabuleiro, arquipélago relativamente bem preservado, é considerado de “importância biológica extremamente alta” pelo Ibama. De acordo com cientistas que pesquisaram a área,  a sedimentação do rio provocada pela usina será fatal para as tartarugas.

Para celebrar a vida e denunciar o que potencialmente pode ser destruído caso a barragem seja construída, foram despejadas na beira da água cerca de 1200 filhotes de tartarugas, jabutis e tracajás. A ação foi proposta pela Secretaria do Meio Ambiente de Souzel, através do programa Quelônios Para Sempre, que recebe apoio da WWF Brasil.

Durante a celebração em Munhenhê, discursos da igreja, movimentos e prefeitura colocaram em xeque o modelo de desenvolvimento que prioriza a expansão do latifúndio, do agronegócio e do desenvolvimento destruidor, em detrimento da biodiverside, dos povos tradicionais e da Amazônia. A manifestação aconteceu no dia da Consciência Negra, data também resgatada na Romaria.

Confira abaixo, na íntegra, o discurso da coordenadora do Movimento Xingu Vivo Para Sempre, Antônia Melo, na praia de Munhenhê, em Souzel.

 

Comentários (8)

  • lidia |

    23/11/2011

    e isso ai meu povo ,,lute pelo seus ideais,,,Deus esta a nossa frente,,e vai dar forças ´para lutar e vencer ,,,,,,diga não,força …….

    Responder
  • Bianca Martins |

    24/11/2011

    Força e união! Não podemos desistir e nem permitir!

    Responder
  • Sarah |

    24/11/2011

    Acho um desrespeito ao povo do Xingu,eles estão sendo ignorados nos seus direitos,suas vidas estão ameaçadas.
    Temos de unir e dizer não a este projeto assassino,de devastação e destruição da Amazonia e de seu povo.
    E para isso,temos de conseguir o maior numero de brasileiros e de assinaturas na luta contra a Usina de Belo Monte.

    Responder
  • Mauricio |

    24/11/2011

    Esse é o certo se podesse eu taria ai brigando contra esse absurdo .

    Responder
  • Lúcia R.Schulz |

    24/11/2011

    Um país como o Brasil, não deveria comportar governantes sem consciência ético-política "globalizada", sem respeito aos direitos humanos, sem o respeito a Vida e ao Planeta! Política deveria ser "vocação", e não jogo de interessesses políticos e financeiros. Ou ainda acham que índio nao é gente!?
    "Quem morre calado é sapo, debaixo do pé do boi", já cantava uma companheira de luta no MA!
    O repudio a esse projeto está sendo divulgado pelos conscensuaosos críticos além fronteiras, e aqui na Europa temos sido ativos do modo mais possível. Uno-me a todos nessa luta.
    Cordialmente,
    Lu.

    Responder
  • Lúcia R.Schulz |

    24/11/2011

    Um país como o Brasil, não deveria comportar governantes sem consciência ético-política "globalizada", sem respeito aos direitos humanos, sem o respeito a Vida e ao Planeta! Política deveria ser "vocação", e não jogo de interessesses políticos e financeiros. Ou ainda acham que índio nao é gente!?

    Responder
  • Carol |

    25/11/2011

    Só se lembram q índio é gente na hora da eleição…

    Responder
  • LUIZ CARLOS |

    27/03/2015

    SOU DE SAO PAULO E VEJO QUE AQUI NAO CHOVE DEVIDO AO DESMATAMENTO DA AMAZONIA

    Responder

Faça seu comentário

Nome
*obrigatório
E-mail
*obrigatório
Website

Divulgue!