Operário de Belo Monte é preso durante repressão da polícia; greve continua

Publicado em 02 de abril de 2012

Polícia usa spray de pimenta e bombas de gás contra trabalhadores

Um trabalhador da Usina Hidrelétrica Belo Monte foi preso na manhã desta segunda-feira, 2, durante repressão da Polícia Militar (PM) a  grevistas que pararam as obras da usina desde a semana passada. Ele permaneceu algemado numa picape da PM, pela manhã. Durante repressão, foram usadas bombas de gás e spray de pimenta. Um helicóptero- alugado pela Norte Energia para uso da Polícia e da Defesa Civil locais – sobrevoava o local, com fuzis apontados para os operários. Ao menos doze trabalhadores estão ameaçados de demissão por conta das movimentações dos últimos cinco dias.

Em função da  greve, que ja dura cinco dias, o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pela obra, adiantou o pagamento dos salários, previsto para quinta-feira, dia 5, para hoje. Os cerca de 7 mil trabalhadores tem recebido o salário, em dinheiro vivo, em uma danceteria da cidade de Altamira.

"Tratam a gente feito gado", diz um trabalhador

A imprensa foi expulsa do local. Contudo, durante a confusão, foi possível furar o bloqueio e registrar algumas cenas.

Uma comissão da Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas) veio a Altamira para auxiliar a greve dos trabalhadores, e propor que eles denunciassem suas condições de trabalho em uma reunião marcada para esta terça, 3, entre governo federal, empresas construtoras e sindicatos da categoria, em Brasília.

A paralisação começou na última quarta-feira, 28 de março, em um dos canteiros da obra. No mesmo dia, um acidente de trabalhador levou um operador de motosserra à morte em outro canteiro. No dia seguinte, a greve atingiu os demais canteiros.

Trabalhador é algemado e levado por policiais

As reivindicações são equiparação salarial, redução do intervalo da baixada (visita à família, quando são de outras regiões) de seis para três meses, melhores na comida e água, o fim do desvio de função, baixada para ajudantes de produção (cargo mais baixo na hierarquia da obra), capacitação para funcionários, plano de saúde, aumento do cartão alimentação (hoje, em cerca de 90 reais), aumento de salário, pagamento de horas extras aos sábados, transporte digno, a “troca” do sindicato representativo e o direito à baixada para os trabalhadores que decidirem, por conta própria, morar fora dos canteiros de obras.

Segundo o comando da greve, o Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada (Sintrapav) abriu diálogo com a empresa, sem a participação dos trabalhadores, propondo que suspendessem a greve e dessem novo prazo à empresa para que respondesse às reivindicações.

 

Carro da Polícia Civil, com logotipo da Norte Energia, carregando policiais da Rotam, Cavalaria, Polícia Militar e homens sem farda

Texto e fotos: Ruy Sposati

Comentários (15)

  • Claudio Lopes |

    02/04/2012

    Eu falo com propriedade porque moro em Vitória do Xingu e trabalho em Altamira: o comentário geral na cidade é que a greve está sendo feita apenas em uma das frentes de obras (Sítio Pimental), e as outras quatro estão funcionando normalmente. Outro fato que não entendi em texto colocado neste site: se a adesão dos trabalhadores é tão grande, por que alguns manifestantes estão fazendo bloqueio na saída da c idade, impedindo quem quer trabalhar de chegar ao destino? Ora, isso é sinal de que a maioria quer trabalhar, mas está sendo impedida por gente que quer levar vantagem com a troca do sindicato. Posso apostar que tem dinheiro por trás dessa tentativa de greve geral. E pior: o Xingu Vivo, pelo jeito, está apoiando isso.

    Responder
    • José Silva |

      02/04/2012

      ë isso mesmo,Vc tem toda Razão

      Responder
      • Fabio |

        03/04/2012

        Isso novamente tem cheiro do envolvimento das ONGs internacionais que querem mandar na Floresta Amazônica, manipulando e colocando a população loca contra os interesses do resto do Brasil.

        Responder
    • João Zinclar |

      02/04/2012

      Claudio Lopes, voceesta profundamente equivocado, quando trabalhadores entram em greve, é porque não aguentam mais tanta exploração de sua força de trabalho, estive em Altamira em Janeiro, pude conversar com vários trabalhadores e sentir sua insatisfação com as péssimas condições de trabalho em que se encontram,essa greve era questão de tempo, suas reivindicações são mais do que justas, principalmente aquela que exige a troca de sindicato, cuja direção é de um peleguismo sem igual.Todo apoio a greve dos trabalhadores de Belo Monte, e também todo apoio ao excelente trabalho de acompanhamento e informação sobre essa importante luta que nos chega aqui no sudeste através desse pessoal serio do Xinguvivo, Grande Ruy!!!!

      Responder
      • kuseeyn |

        03/04/2012

        Esta levando uma porcentagem em quanto João ou é vc Ruy?

        Responder
    • Antonia Melo |

      02/04/2012

      Que vergonha Cláudio , você pensar igual aos burgueses do capital de exploração do suor da vidas dos trabalhadores e trabalhadoras que são obrigados a receber migalhas pra aumentar o lucro desenfreado dos governos e das empresas que lucram forturnas em detrimento da destruição e morte dos nossos recursos naturais, deixando a população cada vez mais pobre sem assistencia á saúde e educação de qualidade, a moradia digna, estradas, água tratada saneamento, lazer, energia barata, como tantas outros direitos da população garantidos na Constituição Federal. Os trabalhadores deste projeto suicida não aguentam mais a escravidão e sunegação dos direitos trabalhistas, impostas pelos ditadores do PAC. Estão denunciando e reagindo e os movimerntos sociais de luta pela efetivação da democracia de estado de direito estão corretos em apoiar lutas contra a violência, injustiças, a mentira, crimes e corrupção. Portanto o Movimento Xingu Vivo continuará lutando pela justiça para todos os injustiçados e direitos socioambiental dos povos do Xingu e da Amazônia.

      Responder
    • Altamira |

      03/04/2012

      Concordo com Você a informações estão distorcidas neste sait, a greve e de uma pequena minoria eu moro em Altamira e vi de perto este tumulto destacado nas fotos acima, não tinha nada a ver com greve era apenas o pagamento dos trabalhadores e por demorar a hora do pagamento gerou um tumulto. nada haver com greve, sempre e bom saber as informações antes de acreditar em tudo o que estar escrito em alguns locais.

      Responder
  • Personal Escritor |

    03/04/2012

    Acontecimentos escabrosos, idênticos aos que ocorreram durante a Ditadura Militar, hoje, com gente sinistra mentindo nas redes e nos comentários dos sites, buscando deturpar o real e criar uma falsa realidade. Tempos de trevas neste país governado por representantes do grande capital, que bestializa o ser humano, oprime, comprime, suga, mata. Essa barbárie precisa ter um fim!

    Responder
  • Márcio Oliveira |

    03/04/2012

    Concordo integralmente com o comentário do Cláudio Lopes. Se a adesão á greve era grande, pq foi preciso fazer barricadas na saída de Altamira para impedir a passagem de ônibus com trabalhadores? A democracia deve valer para todos, sejam aqueles que querem fazer greve ou os que querem exercer o sagrado direito de trabalhar. O Xingu Vivo, na minha opinião, está metendo os pés pelas mãos e divulgando informações equivocadas de uma greve que todos nós que moramos em Altamira e região sabemos que nunca foi geral, mas reuniu apenas uma parcela pequena de trabalhadores.

    Responder
  • Elvio Junior |

    03/04/2012

    Os fatos mostrados em "reportagem" publicada por um blog que defende a não Instalação da Usina Hidroelétrica de Belo Monte, publicou fotos de um tumulto ocasionado por um grupo de baderneiros durante a realização do pagamento dos trabalhadores do referido empreendimento na ultima segunda-feira (02.04.2012) e faz referencias a greve destes trabalhadores. Os fatos narrados não condizem com a realidade. As fotos mostradas são da realização do pagamento dos trabalhadores da Construção da Usinas de Belo Monte. A presença da Policia Militar se deu devido a um grupo de baderneiros que causaram tumulto e a PM foi ao local para manter a ordem. Os fatos noticiados não tem ligação nenhuma com a greve. O Movimento grevista até o momento tem sido pacifico, pois é um direito de todo os trabalhadores. Noticias tendenciosas não fazem parte de ética jornalística.

    Responder
  • Príncipe |

    03/04/2012

    Parabéns ao Movimento Xíngu Vivo, por divulgar as mentiras que a NORTE ENEGIA tenta esconder dos olhos do MUNDO!!!!!!!!!!!!!!!!! E para estas pessoas que criticam, é porquê tem comida de qualidade, deve ter um bom salário, ver sua família todos os dias e é um grande puxa-saco do CHEFE.

    Responder
  • viviane |

    03/04/2012

    O Xingu Vivo não seria uma tentativa de pressão para parar as obras? não entendi a importancia e apoio a greve por reajustes salariais e melhores condições de trabalho sendo que não deveria nem ter trabalho, esta obra nem deveria estar acontecendo!

    Responder
  • François Pelletier |

    03/04/2012

    Todo meu coração está com você. A vitória sempre. Em breve estaremos com você. Abraços

    Responder
  • yermandu |

    03/04/2012

    Ruy, é triste, mas estamos feliz por nos reportar o que realmente acontece na região. Somos contrários ao belo monte, pois sabemos quem são os reais interessados nessa merda toda. Ops disse um palavrão beeep

    Responder
  • Paulinha Cury |

    04/04/2012

    Basta ler o "Informativo aos Trabalhadores" elaborado pela CCBM para ter uma real noção do que está acontecento de fato. A Cooperativa pede aos grevistas que "Reivindique e negocie, mas sem parar de trabalhar." Ou seja, não está se importando com as condições desumanas de trabalho, somente quer saber de concluir logo a obra e faturar. Sorte aos grevistas!

    Responder

Faça seu comentário

Nome
*obrigatório
E-mail
*obrigatório
Website

Divulgue!