Evento contra Belo Monte recebe apoio de Gilberto Gil, Marina Silva, Arnaldo Antunes e Leonardo Boff

Música de Gil vira hino do Xingu +23, que reunirá cerca de 500 atingidos e ativistas de outras partes do país e do mundo em Belo Monte. Confira a programação
Publicado em 06 de junho de 2012

Nas últimas semanas, o encontro Xingu +23, atividade contra Belo Monte que acontece no marco da Rio +20 em Altamira (PA), entre 13 e 17 de junho, recebeu o apoio de Gilberto Gil, Marina Silva, Arnaldo Antunes, Leonardo Boff e outras autoridades e celebridades. O evento reunirá cerca de 500 impactados pela usina, entre pescadores, ribeirinhos, agricultores, indígenas, moradores das cidades e ativistas.

Confira os materiais de campanha

Além da manifestação de solidariedade com as populações do Xingu, Gil também cedeu a música “Um sonho” (Parabolicamará, 1992) para que fosse transformada no clipe do encontro. “Gilberto Gil já havia declarado apoio ao Xingu +23 quando, há duas semanas, a canção começou a circular no twitter. Sua poesia irônica e melancólica se encaixam como uma luva no discurso desenvolvimentista em torno de Belo Monte. De repente surgiu uma campanha para que a canção se tornasse o hino do encontro. Ele topou, e criamos o clipe com as imagens do Xingu, dos atingidos e das lutas contra a usina”, explicam os organizadores do evento.

Com apoio crescente principalmente nas mídias sociais, o Xingu +23 deverá contar também com a participação de ativistas de vários estados brasileiros e de outros países. “O ator Sergio Marone deverá participar, há uma delegação de mais de 20 ativistas vindo de São Paulo, outra de Belém e outra de São Luís. Tem gente vindo dos Estados Unidos, e até da Turquia”, informam os organizadores.

Segundo eles, o objetivo do Xingu +23 – que remete ao histórico encontro de 1989 em Altamira, quando os movimentos indígena e ambientalista conseguiram brecar o primeiro projeto de barramento do rio – é denunciar, ante a comunidade internacional que estará reunida no Rio de Janeiro, a brutalidade dos impactos sociais e ambientais da usina, e a série de ilegalidades que cercam o seu processo de implantação. A meta principal, no entanto, é fortalecer as populações locais na resistência contra Belo Monte.

Programação
Grande parte do evento acontecerá em uma das comunidades mais impactadas pela hidrelétrica, a vila de Santo Antonio (50km de Altamira), que, por sua proximidade com o maior canteiro de obras da usina, foi praticamente toda desapropriada pela Concessionária Norte Energia. No local, que conta com alguma estrutura (mas não tem sinal de telefonia nem internet), será montado um acampamento com estruturas para redes e barracas.

Atendimento à imprensa
Jornalistas interessados em cobrir o evento devem contatar o Movimento Xingu Vivo pelo e-mail campanhaxingu@gmail.com

Apesar das dificuldades tecnológicas, a equipe de comunicação do MXV procurará disponibilizar diariamente informações e fotografias do evento no site http://www.xinguvivo.org.br/x23. As imagens também poderão ser solicitadas pelo e-mail.

Haverá uma cobertura profissional em vídeo, mas teremos que avaliar a melhor forma de fazer o envio deste material, uma vez que a internet em Altamira não tem potência para tanto. Emissoras interessadas em receber imagens também devem entrar em contato conosco por email e telefone.

Confira, abaixo, a programação.

Dia 13 – Vila Santo Antônio
- Recepção e Credenciamento
- Debates sobre violações do Licenciamento e Instalação de Belo Monte
- Celebração da tradicional missa de Santo Antonio

Dia 14 – Vila Santo Antônio e Altamira
- Discussão em grupo dos atingidos (Santo Antônio)
- Audiência Pública em Altamira

Dia 15 – Marcha e ato público
8h – Concentração em frente a Rede Celpa na Av. 7 de setembro.

Dia 16 – Vila Santo Antonio
- Assembleia final
- Torneio de futebol
- Tradicional festa de Santo Antonio

Dia 17 – Vila Santo Antonio
- Encerramento

Comentários (2)

  • José Maria Ribeiro |

    03/08/2012

    Nós, da Associação Nacional de Presbíteros do Brasil – ANPB, nos solidarizamos com a luta do povo pela VIDA DO E NO XINGU.
    Pe. José Maria da Silva Ribeiro
    Presidente da ANPB

    Responder
  • eliana melo |

    17/11/2012

    A sociedade civil não é ou não sabe quase nada a respeito de Belo Monte, nossos primeiros habitantes deveriam ser respeitados, pois estão nestas terras há pelo menos 20 mil anos….é lamentável!!!!

    Responder

Faça seu comentário

Nome
*obrigatório
E-mail
*obrigatório
Website

Divulgue!